OS 15 MELHORES FILMES SOBRE FINANÇAS QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR!

OS 15 MELHORES FILMES SOBRE FINANÇAS QUE VOCÊ DEVE ASSISTIR!

Os 15 melhores filmes sobre finanças que você DEVE assistir!

Muitas pessoas têm dificuldades ou resistem quando a questão é investir tempo para adquirir conhecimento sobre educação financeira. Elas normalmente acham que o assunto é muito complicado e que é necessário ser um gênio da matemática para ter sucesso nas finanças pessoais.

Contudo, a verdade é que educação financeira vai muito além disso e é bem menos complexa do que parece.

Educar-se financeiramente significa mudar a forma como você lida com sua renda, aprender a administrar seu dinheiro, poupar, fazer investimentos e consumir de maneira consciente. Além de estar preparado para tomar decisões em situações adversas.

Nesse sentido, uma boa opção para adentrar no universo financeiro sem cair de paraquedas e ficar perdido é assistir a filmes que abordam esta temática.

Muitas obras são interessantes até mesmo para quem já possui certos conhecimentos, mas quer entender um pouco mais sobre os diversos aspectos relacionados ao dinheiro.

Se você se enquadra em alguma das situações apresentadas, tenho certeza que vai gostar da relação que criamos. Veja, a seguir, nossa lista com os 15 melhores filmes sobre finanças!

Os 15 melhores filmes sobre finanças

1. O mago das mentiras – The wizard of lies (2017)

O filme mais recente da lista traz a fraude como questão central, mostrando os detalhes de como um esquema fraudulento enriqueceu Bernard Madoff.

Da mesma forma que em outras obras que serão apresentadas no decorrer do artigo, as quais tratam de enriquecimento ilícito, esta também mostra como grandes especialistas no mercado financeiro fazem para tirar vantagem do sistema.

2. A grande aposta – The big short (2015)

Um grande especialista do mercado financeiro, Michael Burry, percebe inconsistências nas hipotecas vendidas pelo mercado imobiliário. Ele, então, decide apostar contra estes títulos, que eram considerados um dos mais seguros do mercado.

Quando a bolha imobiliária estoura em 2008, sua teoria, vista como absurda, se concretiza.

O filme ainda explica de forma prática alguns termos que, para iniciantes no mercado de investimentos, são muito úteis.

3. Steve Jobs (2015)

A película é um grande resumo da vida de Jobs, com seus momentos decisivos e seus dilemas pessoais. Nesse sentido, mostra os bastidores da vida de um dos maiores ícones da atualidade do mundo corporativo.

4. O lobo de Wall Street – The wolf of Wall Street (2013)

O filme mostra o lado obscuro da história de um enriquecimento tão rápido, quanto ilícito. Como outros filmes do gênero, levanta questões morais e mostra detalhes da vida de um corretor de Wall Street e suas estratégias no mercado financeiro.

5. Até que a sorte nos separe (2012)

Apesar de ser uma comédia, é inspirado no livro do conceituado consultor financeiro Gustavo Cerbasi (“Casais inteligentes enriquecem juntos”).

Mostra de forma clara como o descontrole financeiro e decisões erradas podem dilapidar até as maiores fortunas. Guardadas as proporções, qualquer um pode se colocar no lugar do personagem principal e refletir sobre seu estilo de consumo.

6. O Capital – Le Capital (2012)

Dirigido por Costa-Gravas e lançado em 2013, o longa mostra a ascensão financeira seguida pelo declínio moral de um executivo devido aos jogos de poder (fazer pactos, negociações e puxar tapetes) que ele precisa enfrentar para poder se manter na presidência de um banco.

O filme aborda a interseção entre o plano financeiro pessoal dos personagens e o capitalismo tardio, momento histórico econômico em que eles se encontram.

7. Grande Demais Para Quebrar – Too Big To Fail (2011)

O tema deste filme, produzido para a televisão e exibido em 2011 pela HBO, envolve o poder político das corporações e a sua dimensão econômica. O longa conta a história da crise de 2008, a partir do ponto de vista de Henry Paulson, Secretário do Tesouro norte-americano.

Warren Buffet (maior investidor e um dos homens mais ricos do mundo), Ben Bernanke (presidente do Federal Reserve) e Dick Fuld (CEO do Lehman Brothers) são alguns dos ilustres personagens que participam do filme.

8. Quants – Os Alquimistas de Wall Street (2010)

O filme retrata, na forma de documentário, a tentativa de estudiosos das áreas de estatística, matemática e ciências da computação de desenvolver técnicas para definir os valores de títulos financeiros, desvendando matematicamente o sistema financeiro.

Ele traz uma série de conhecimentos valiosos, repassados para o espectador por especialistas renomados em suas áreas de atuação.

9. Freakonomics (2010)

Baseado no livro homônimo, este filme retrata os estudos do economista Steven Levitt e do jornalista Stephen J. Dubner, que aplicaram de forma direta a teoria econômica em questões do dia a dia. É uma obra que ajuda a entender a economia e o papel dos agentes econômicos.

10. Trabalho Interno – Inside Job (2010)

Este documentário dirigido por Charles Ferguson expõe claramente e quase que didaticamente os fatores que culminaram na crise financeira de 2008 e os seus impactos na sociedade.

Inside Job deve ser visto por todos aqueles que buscam compreender como o sistema capitalista funciona na etapa de financeirização.

O longa mostra o lado sujo de Wall Street e as más consequências da especulação e de empréstimos disponibilizados sem nenhum critério. Há, também, entrevistas feitas com jornalistas, grandes políticos, acadêmicos e outras personalidades importantes do mercado.

11. Capitalismo: Uma História De Amor – Capitalism: A Love Story (2009)

O diretor Michael Moore exibe uma análise da maneira como o capitalismo foi capaz de corromper os ideais de liberdade presentes na Constituição dos EUA.

O objetivo era gerar maiores lucros para um pequeno grupo da sociedade enquanto a maioria perde cada vez mais os seus direitos.

O enredo é centrado na crise financeira global do ano de 2007 a 2009, que ocorreu na transição entre o governo de George W. Bush e Barack Obama e o estímulo à economia consagrado por Obama.

12. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom – Confessions of a Shopaholic (2009)

Neste filme, pode-se perceber os males resultantes do consumo desenfreado e da falta de planejamento financeiro pessoal.

O vício em compras leva a personagem principal à falência, deixando a lição de que economizar é fundamental para não se afundar em dívidas e ficar sempre no vermelho.

13. Enron – Os Mais Espertos da Sala – The smartest guys in the room (2005)

Trata-se de um documentário que relata o que aconteceu com uma das principais empresas dos Estados Unidos, e do mundo, no ramo de energia, a Enron.

Um dos maiores escândalos financeiros dos anos 80 é esmiuçado para o espectador através de documentos, fotos, gravações e comentários. Traz, assim como outro filme da lista (“A Grande Aposta”), um aviso de que nem todos os investimentos aparentemente sólidos realmente o são.

14. Mauá – O Imperador e o Rei (1999)

O filme mostra a história de Irineu Evangelista de Sousa (1813–1889), mais conhecido como barão de Mauá e considerado o primeiro grande empresário brasileiro.

Passando pela construção de sua fortuna até sua falência.

Ele foi visto como o visionário idealizador de uma série de iniciativas modernizadoras para economia nacional, ao longo do século XlX.

Mauá era um vanguardista em sua época.

15. Trocando as bolas – Trading places (1983)

Louis Winthorpe III (Dan Aykroyd) é um executivo de sucesso, e Billy Ray Valentine (Eddie Murphy), um mendigo.

Ao se tornarem alvo de uma aposta entre poderosos corretores – que usam sua influência para modificar as condições de Louis e Billy – eles têm suas vidas viradas do avesso. Tudo para que os apostadores possam descobrir quais dos fatores é determinante para o sucesso ou para o fracasso de alguém: ambiente ou genética.

O filme traz uma boa reflexão, além de boas risadas. Muitos críticos acreditam que esse seja um dos melhores trabalhos de Eddie Murphy.

Conclusão
Os filmes indicados além de buscarem expandir seus horizontes com novos conhecimentos e, às vezes, com temáticas sociais e éticas, demonstram que o mercado financeiro não é tão impessoal e calculista como muitos pensam.

Existem conflitos e decisões erradas, ainda que se disponha de boas informações. E, mais, existe trapaça mesmo com toda regulação e fiscalização.

Por isso, informação nunca é demais!

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.